Brasil

Mãe de Henry Borel muda versão e diz em carta que Jairinho é violento

Na carta, Monique revela que ela e família eram ameaçados por Jairinho

diario da manha

Presa desde o dia 8 de abril deste ano, a mãe do pequeno Henry Borel, de 4 anos, que morreu no dia 8 de março de 2021, escreveu uma carta na prisão, onde mudou a sua versão do que ocorreu sobre a morte do filho. Monique Medeiros escreveu uma carta com 29 páginas e na qual afirma que o marido Dr. Jairinho é dominador e violento, e que se sentiu ameaçada por ele.

A carta foi divulgada na edição de domingo do Fantástico e mostra a nova versão apresentada pela mãe de Henry Borel. Ela pontua diversos fatores que ocorreram no dia da morte do menino, entre os pontos citados por ela está que ela foi acordada durante a madrugada por Jairinho, que foi orientada a mentir sobre a morte do filho, que o marido é violento e possessivo e que tanto ela quanto sua família eram ameaçados por Jairinho.

No relato de Monique ela conta que foi acordada durante a madrugada, para ir ao quarto do filho, e que o pegou do chão e colocou na cama, e notou naquele momento que Henry não estava respirando bem.

Monique diz que Dr. Jairinho é possessivo e descontrolado

A mãe de Henry Borel diz em outro trecho da carta, que o marido e padrasto do menino, Dr. Jairinho é possessivo e descontrolado, além de descrever uma rotina de ciúmes e violência do mesmo e que foi ameaçada por ele.

Monique foi presa junto com Jairinho no dia 8 do mês corrente como suspeitos do assassinato de Henry Borel. Vale ressaltar que Monique prestou depoimento sobre o caso 10 dias depois da morte do filho, e que depois de 12 horas na delegacia ela fez uma selfie e foi embora com o marido.

Na ocasião a mãe do menino afirmou não acreditar que o marido pudesse ter feito qualquer coisa contra Henry, e que a relação entre ele eles era boa, pois Jairinho tentava cativar Henry. No entanto, ela apresenta uma nova versão na carta e afirma que rompeu com o vereador.

Leia também:

Comentários