Brasil

Grupo invade estúdio e ameaça radialista por criticas feitas a Bolsonaro

Júnior Albuquerque, radialista pernambucano, condenou as medidas tomadas pelo presidente Bolsonaro (sem partido) em meio à pandemia da Covid-19

diario da manha
Imagem: Reprodução/Youtube

Um grupo de quatro homens invadiu na noite dessa terça-feira um estúdio de rádio em Santa Cruz do Capibaribe, em Pernambuco e ameaçaram agredir o radialista Júnior Albuquerque, que criticou  às medidas tomadas pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) durante a pandemia da Covid-19.

Ao portal JC, Júnior Albuquerque disse que tudo aconteceu por conta de um comentário opinativo que fez quando o Brasil atingiu a marca de 300 mil mortes por Covid-19. “Expus que no meu ponto de vista Hitler não era o único culpado do genocídio que aconteceu na Alemanha, pois quem apoiou e quem se calou também teve sua parcela de culpa. Assim como no Brasil, em relação à Covid-19, os eleitores de Bolsonaro que concordam com a política sanitária que ele vinha fazendo, também teriam culpa”, explicou o radialista.

Segundo ele, após o comentário acabou se tornando alvo de uma série de ameaças. “Eu disse que queria que esse pessoal fosse até a rádio para gente debater e eles me explicarem o motivo de tanta raiva e também me mostrarem o que foi que o presidente deles fez de bom. Quando foi ontem eles invadiram o estúdio da rádio e me ameaçaram”, contou.

O comunicador ainda relatou que as agressão só não se concretizou, pois os colegas de bancada conseguiram intervir.

Ele prestou queixa na Polícia Civil de Santa Cruz do Capibaribe e pretende ainda realizar uma queixa-crime no Ministério Público de Pernambuco (MP-PE).

Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a equipe DM Online www.dm.jor.br pelo WhatsApp (62) 98322-6262 ou entre em contato pelo (62) 3267-1000.

Leia também:

 

Comentários