Brasil

Excluído de jantar com Bolsonaro, dono da Havan diz ser '' figurinha carimbada''

O empresário Luciano Hang, proprietário da empresa Havan, diz ser ''figurinha carimbada'' e, por isso, não precisa ser presente em encontros com o presidente Jair Bolsonaro ( sem partido), para ouvir tudo que '' já sabe''

diario da manha

Na noite da última quarta-feira (7), Bolsonaro reuniu ministros e nove dos 65 bilionários brasileiros para um jantar, em São Paulo. O empresário Luciano Hang, que estava incluso na pré-lista, foi excluído dos convidados oficiais. “Muitos amigos foram e o anfitrião do jantar me ligou hoje, Washington Cinel, e disse que Bolsonaro foi ovacionado”, informou o empresário. Hang é um dos grandes apoiadores do presidente.

O empresário Luciano Hang, proprietário da empresa Havan, diz ser ”figurinha carimbada” e, por isso, não precisa ser presente em encontros com o presidente Jair Bolsonaro ( sem partido), para ouvir tudo que ” já sabe”.

Para o dono da empresa Havan, é importante o presidente participar de reuniões do tipo, por todo Brasil. “conversar com as forças que produzem riqueza e mostrar que as pessoas que são eleitos pelos votos, não conseguem fazer tudo o que querem, já que lamentavelmente vivemos ditadura do terceiro escalão”, comenta Hang.

O empresário ainda disse que, “a máquina pública é o câncer do nosso país”. E completa: “Como dizia Otto Fon Bismarck a política é a arte da possível, da segunda escolha. No momento estou em viagem pelo Rio Grande do Sul, visitando obras e lojas, acreditando no Brasil, investindo e gerando empregos.”

No evento, a discussão foi sobre a vacinação em massa contra a Covid-19 e em avanços na agenda econômica por meio de privatizações. “O alinhamento é total [entre governo e empresários]. Todos sabem os esforços que estamos fazendo”, disse Fábio Faria, ministro das Comunicações.

Comentários