Brasil

Diretor do Butantan diz que atual situação da Covid-19 no Brasil se deve ao negacionismo

Segundo o médico, uma das soluções deveria ser o cumprimento do isolamento social, o que não tem acontecido no país, "Não temos uma adesão nacional e um discurso único. Temos muitos discursos, inclusive os contrários a isso", afirma Dimas Covas.

diario da manha

O diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas afirmou que a atual situação do coronavírus no Brasil se deve ao negacionismo. Em entrevista a O Globo, o hematologista afirmou que irresponsabilidade do governo federal contribuiu para a crise e os números alarmantes de mortes por dia pela doença.

Segundo o médico, uma das soluções deveria ser o cumprimento do isolamento social, o que não tem acontecido no país, “Não temos uma adesão nacional e um discurso único. Temos muitos discursos, inclusive os contrários a isso. Discursos de autoridades importantes da República que dizem que as pessoas não têm que ficar em casa”, afirma Dimas.

O diretor do Butantan afirmou em entrevista, que há um duplo comando da epidemia no Brasil, o da ciência e o do negacionismo. “Hoje o Brasil é campeão do mundo na epidemia, e isso significa uma vitória do negacionismo. Estamos perdendo a batalha”, afirma.

Para Dimas, o vírus está correndo solto de “uma forma muito tranquila” o que contribui para o aumento no número de óbitos. “A falta de um discurso unificado e de um entendimento correto do que é a epidemia é fatal”, afirma.

De acordo com Dimas, há uma politização da pandemia e da corrida pela imunização, o governador João Doria (PSDB) se coloca como oposição ao governo federal e o instituto sofre pressões externas. “O fato de o Butantan não ter sido contratado no ano passado, ter sido preterido quando ofereceu vacinas ao ministério? Houve uma questão política que atingiu fortemente o Butantan. O governo do estado de São Paulo veio em defesa e usou das armas da política para isso. O fato é que o Butantan neste momento é a espinha dorsal da vacinação no Brasil”, contou.

Além da CoronaVac, o instituto está desenvolvendo a ButanVac, vacina que ainda aguarda aprovação da Anvisa para começar os testes em humanos e é eficaz contra a variante P1, que foi descoberta em Manaus (AM) .

Comentários