Brasil

Padre Robson alega em áudio que ex-diretor da Afipe tentou o extorquir

Na conversa ele fala sobre documento que Anderson Reiner teria feito, cobrando valores relativos a promessa feita em porteira de fazenda e até tratamentos estéticos. Defesa do padre afirma que os áudios são montagem

diario da manha

O padre Robson de Oliveira, alegou em áudio que se sentia vítima de extorsão por parte de Anderson Reiner, até então diretor da Associação Filhos do Pai Eterno (Afipe). Na conversa o padre e um advogado falam sobre um documento em que Anderson Reiner cobraria mais R$ 4 milhões. O valor seria destinado ao pagamento promessa feita em porteira de fazenda e até tratamentos estético. As informações são do G1.

As gravações foram encontradas após a Operação Vendilhões, que cumpriu mandados de busca e apreensão em agosto de 2020, para apurar crimes como lavagem de dinheiro, apropriação indébita e falsidade ideológica nas “Afipes”. A conversa gravada pelo próprio padre Robson tem quase mais de 1h30 de duração.

Áudio gravado durante reunião

No diálogo, padre Robson e o advogado Luiz Inácio Medeiros Barbosa falam sobre um processo judicial envolvendo a venda de uma fazenda. O religioso acusa o diretor jurídico da entidade de cometer muitos erros na condução jurídica, pelo qual inclusive afirma que gostaria de afastá-lo para evitar que Anderson Reiner causasse mais problemas.

Ainda durante a reunião, ele diz que Anderson Reiner está “querendo receber R$ 4 milhões por esse serviço”, alegando que o padre havia prometido ganhos financeiros. Mas, segundo Robson, o diretor jurídico entendeu de forma equivocada, pois o que os dois tinham conversado era sobre outros trabalhos, que poderia gerar ganhos que proporcionariam uma espécie de aposentadoria.

Em outro momento, Robson pega um documento que teria sido feito por Anderson Reiner e mostra a lista de valores cobrados, afirmando que aquilo é uma extorsão de dinheiro. O padre descreve que R$ 560 mil do apartamento [onde Anderson Reiner mora] são pagos por ele. Além disso, outros R$ 300 mil, também entram nos valores cobrados.

“R$ 300 mil do acompanhamento da execução da [inaudível], sendo que ele era pago para isso, mas ele tem que ganhar R$ 300 mil, porque diz que eu prometi”, diz o padre.

Entre outras promessas o padre continua: “R$ 3 milhões em aposentadoria privada prometida na porteira do Parque das Águas, fazenda em Abadiânia que era de propriedade da Afipe […]. R$ 140 mil de prêmio em tratamentos estéticos e outros relacionados à saúde pelo desgaste em função do mandato. […] R$ 4,1 milhões, pois foi me dito pelo padre Robson que se eu resolvesse a vida dele, ele resolveria a minha, executando o que me prometeu”, diz Robson ao ler o documento.

Após apresentar o documento ao advogado, o padre que até então era presidente da Afipe, diz que não vai acatar os pedidos e que Anderson Reiner não tem mais condições de continuar no cargo. Nesse momento, Luiz Medeiros, se mostra preocupado com a situação apontando que o diretor da Afipe possa prejudicar o padre e a associação.

Logo após, o advogado Luiz Medeiros questiona Robson sobre o que deve fazer com relação a Anderson Reiner, o padre então responde: “Se você pudesse matar ele para mim, eu ia achar uma bênção. Acaba com esse cara, bicho. Isso aí só vai atrapalhar nossa vida. Para mim, até hoje, foi um atraso. Com o que um cara desse escreve e assina uma extorsão, doutor?”, afirma o Robson.

Em nota, o advogado Luiz Medeiros informou que atuou como advogado consultivo da Afipe que o trabalho dele “sempre foi lícito e transparente”. Segundo ele “nunca houve qualquer repasse de valores a nenhum servidor público”. Também disse que “os áudios e vídeos foram montados por hackers que extorquiam o padre Robson. Sigo à disposição das autoridades e da imprensa para qualquer esclarecimento”, afirmou ele.

Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a equipe DM Online www.dm.jor.br pelo WhatsApp (62) 98322-6262 ou entre em contato pelo (62) 3267-1000.

Comentários