Brasil

Bolsonaro compartilha vídeo em seu Twitter contra lockdown no DF

No vídeo, a empresária faz depoimento direcionado ao governador Ibaneis Rocha (MDB) que condena o fechamento de comércio e serviços, falando " em nome dos meus funcionários e da minha empresa"

diario da manha

O presidente Jair Bolsonaro compartilhou neste domingo (28), em sua conta no Twitter, um vídeo gravado por uma empresária que critica a decisão do governo do Distrito Federal em adotar lockdown. Alegando que “lockdown mata!” . Na legenda, o presidente escreve ” O povo quer trabalhar” e ” Brasília/DF”.

No vídeo, a empresária faz depoimento direcionado ao governador Ibaneis Rocha (MDB) que condena o fechamento de comércio e serviços, falando ” em nome dos meus funcionários e da minha empresa”. “Tivemos um ano difícil e agora que estamos alavancando novamente, o senhor vem e fecha tudo. Não faça isso governador, precisamos trabalhar”, afirma a empresária.

Vídeo gravado pela a empresária e compartilhado pelo presidente

A narrativa é de que a companhia está cumprindo os protocolos exigidos, com uso de máscara, álcool gel e distanciamento dos funcionários. No vídeo gravado dentro de uma sala, há pelo menos duas dezenas de pessoas uniformizadas e aglomeradas, protestando contra o decreto. Todas com máscaras e toucas.

” Estamos fazendo tudo para dar certo, faça sua parte, governador. Votamos no senhor, acreditamos no senhor. Coloque leitos nos hospitais e ônibus nas ruas. Lockdown não salva, lockdown mata, mata de fome”, afirma a empresária.

Na última sexta-feira (26), o governo do DF determinou o fechamento de todos os serviços não essenciais a partir da 0h de sábado (27), para conter o avanço do novo coronavírus. A decisão foi tomada após a ocupação dos leitos de UTI específicos para pacientes com Covid-19 beirar o limite. O índice em 98% no fim da tarde da última sexta-feira (26). A medida vai até 15 de março.

Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a equipe DM Onlinewww.dm.jor.br pelo WhatsApp (62) 98322-6262 ou entre em contato pelo (62) 3267-1000

Comentários