Brasil

Várias capitais fazem protestos pedindo o impeachment de Bolsonaro

Manifestantes também pediram a volta do auxílio emergencial, encerrado em dezembro por decisão do governo federal

diario da manha

Varias capitais do país organizaram carreatas que saíram às ruas neste sábado (23) pedindo o impeachment do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Os atos foram convocados em protesto pelo agravamento da crise do coronavírus e dificuldade do governo federal de agilizar uma ampla campanha de vacinação no país.

No único da tarde deste sábado, cidades como Belém, São Paulo, Rio de Janeiro, Recife e Brasília já tinham carros pelas as ruas. O formato de carreatas foi escolhido para reduzir o risco de contágio da Covid-19 durante atos.

Na capital federal, a mobilização no Eixo Monumental e na Esplanada dos Ministérios teve buzinação e cartazes pedindo a saída do presidente. De acordo com a assessoria da Polícia Militar do Distrito Federal ( PMDF), cerca de 500 veículos participaram do protesto.

Em Belém, manifestantes também pediram a volta do auxílio emergencial, encerrado em dezembro por decisão do governo federal. Segundo a agência Estado, 500 carros participa do ato na capital paraense.

No Rio, após de se concentrar por cerca de uma hora no monumento Zumbi dos Palmares, a carreata com cerca de 100 veículos saiu por volta do meio-dia ocupando uma faixa da avenida Presidente Vargas, uma das principais via do centro. Bandeiras, buzinas e gritos de ” Fora Bolsonaro” eram ouvidos ao longo do caminho.

Nos carros que participaram dos atos pelo país, era possível ler frases como “fora Bolsonaro”, “vacina para todos” e “viva o SUS”, em referência ao Sistema Único de Saúde.

Na última sexta-feira (22), pelo menos 18 capitais haviam confirmado a realização do protesto, entre elas, Porto Alegre, Salvador, Fortaleza, Curitiba, Goiânia, Florianópolis, João Pessoa, Palmas, Campo Grande, Rio Branco, Maceió e Teresina.

Em São Paulo, os partidos que já confirmaram participação nas carreatas são a Rede, PDT, PT, PV, PSOL, PCdoB, PSB, Cidadania e PCB.

Os protestos hoje acontecem em um momento em que a popularidade de Bolsonaro se mostra abalada. Pesquisa Datafolha divulgada na última sexta-feira (22), indiciou aumento do número de insatisfeitos com o presidente: 40% da população avalia sua atuação como ruim ou péssima, comparado com 32% que assim o consideravam na edição anterior da sondagem, no começo de dezembro.

Comentários