Brasil

Mulher que estava internada é encontrada morta

Família de Valéria, vai visitá-la e descobre que o corpo está no IML

diario da manha
Imagem retirada do Google.

Valéria Muniz de Carvalho, de 52 anos, é encontrada morta no último fim de semana. A mulher que havia dado entrada na quinta-feira (17), no Hospital Salgado Filho, no Rio de Janeiro.

A mulher que foi a unidade, pois, estava com uma fratura no calcanhar, passou por exames e recebem medicamentos, além de ser internada para fazer uma cirurgia.

Foi achada sem vida em outro bairro do Rio de Janeiro, chamado Cachambi. Após sumir do hospital.

No domingo (20), o namorado de Valéria procurou a unidade e eles o orientaram a voltar na segunda-feira (21), para falar com o Núcleo Estratégico de Apoio à Família (NEAF), o qual passou todas as informações sobre o tratamento e saída da paciente.

A família só soube da morte quando foi visita-la no hospital e descobriram que o corpo estava no Instituto Médico Legal (IML).

A Polícia Civil está investigando o caso, aguardando o laudo da perícia sobre a morte de Valéria.

Segundo a Secretária Municipal de Saúde ”Valéria era uma paciente lúcida e deixou a unidade sem autorização de alta, não havendo portanto nenhum documento assinado- isso só acontece na situação quando o paciente solicita “alta a pedido” e assina termo de responsabilização por interromper o tratamento médico. É preciso deixar claro que não há como impedir, em casos como a da Sra. Valéria, que o paciente fique internado contra a sua própria vontade.”

Quando questionados sobre o controle dos pacientes do Hospital Salgado Filho, afirmaram “tem sim controle nos seus acessos, com vigilantes em todas as entradas e saídas da unidade” e que deram a desculpa de “não tem como distinguir se a paciente era do setor da enfermaria ou não, pois vários saem com imobilização”, justificaram.

Comentários