Brasil

Bolsonaro teve reação 'negacionista' após ser alertado por Mandetta sobre 180 mil mortes

"Eu nunca falei em público que eu trabalhava com 180 mil óbitos se nós não interviéssemos, mas para ele [Bolsonaro] eu mostrei, entreguei por escrito, para que ele pudesse saber da responsabilidade dos caminhos que ele fosse optar", enfatizou o ex-ministro da Saúde", disse o ex-ministro da Saúde ao 'Conversa com Bial'

diario da manha
Foto: Reprodução/Vídeo

Durante entrevista concedida na madrugada desta sexta-feira (25) ao Conversa com Bial, da Rede Globo, o ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, afirmou que alertou o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sobre a possibilidade do número de vítimas fatais da Covid-19 atingir a marca de 180 mil no Brasil. No entanto, Mandetta apontou que a reação de Bolsonaro foi “negacionista e raivosa”. As informações são do UOL.

“Eu nunca falei em público que eu trabalhava com 180 mil óbitos se nós não interviéssemos, mas para ele [Bolsonaro] eu mostrei, entreguei por escrito, para que ele pudesse saber da responsabilidade dos caminhos que ele fosse optar”, enfatizou o ex-ministro da Saúde.

Conforme a matéria, Mandetta realçou que Bolsonaro ficou com raiva do Ministério da Saúde após negar a gravidade do cenário da pandemia, alertado pelo ex-ministro.

“Foi realmente uma reação bem negacionista e bem raivosa. Eu simbolizava a notícia e ele ficou com raiva do carteiro”, explicou.

De acordo com o site, depois da reação contra o ministro, Bolsonaro passou a apelar a algo sobrenatural. “Ele se apegou àquela cantilena de pessoas que vão ao seu redor e começam a falar o que ele queria escutar”.

“Me lembro de uma pessoa da saúde pública, um ex-parlamentar, que falava que só iria ter três mil óbitos e duraria só quatro semanas. Daí veio a história da cloroquina e foi uma válvula de escape para ele [Bolsonaro]. Foi só tipo ‘eu tiro e coloco isso no lugar'”, ressaltou Mandetta.

‘Um Paciente Chamado Brasil: Os Bastidores da Luta contra o Coronavírus’

Conforme a reportagem do UOL, o ex-ministro está lançando um livro, intitulado “Um Paciente Chamado Brasil: Os Bastidores da Luta contra Coronavirus”, pela Editora Objetiva. A obra apresenta o trabalho do Ministério da Saúde no enfrentamento à pandemia durante sua gestão, que teve fim no dia 16 de abril, quando foi exonerado.

Segundo a matéria, Mandetta é ortopedista e tem conhecimento em psiquiatria. Ele utiliza o conceito desta última área sobre as fases do luto para explicar a reação de Bolsonaro durante a pandemia. A obra aborda negação, raiva, negociação, depressão e aceitação, conforme o UOL.

Comentários