Brasil

Após processo, jornalista se retrata por chamar Felipe Neto de 'pedófilo' na TV

diario da manha

O jornalista Gustavo Victorino, da TV Pampa, afiliada da Rede TV no Rio Grande do Sul, se retratou publicamente após ter chamado Felipe Neto de ‘pedófilo’ e ‘depravado’ na última sexta-feira, 31, e o youtuber ter anunciado que iria processá-lo.

Durante o programa “Atualidades”, fez acusações sem fundamentos sobre o youtuber. “Vocês não acreditam no que esse cara diz às crianças, Ele é, sim, um sujeito que prega sexo entre crianças. Ele é, na minha opinião, um depravado, um pedófilo. Esse cara tinha que estar na cadeia”, disparou.

Leia também: Repórter estava em entrevista no momento da explosão em Beirute; assista ao vídeo

Em seguida, Felipe Neto usou as redes sociais para anunciar que iria processá-lo. “Será processado cível e criminalmente”, escreveu.

Após ser chamado de pedófilo, Felipe Neto processa jornalista da TV Pampa

Leia também: Facebook remove post de Trump por ser fake news sobre a Covid-19

Retratação

Após o anúncio do processo e da repercussão negativa, o jornalista pediu desculpas pela declaração. “Eu quero fazer uma manifestação aqui, porque, na sexta-feira, a gente falando de assuntos gerais aqui, afinal de contas esse é um programa de debate, eu usei palavras bastante ríspidas e inadequadas no calor da emoção”, disse.

“Então eu quero fazer uma retração pública aqui para o youtuber Felipe Neto porque eu usei palavras fortes e tô fazendo uma retratação exatamente nesse sentido, porque não acho que foram adequadas. Muitos telespectadores se incomodaram, ele certamente se incomodou porque publicou que iria me processar, o que é um direito dele”.

“Eu quero, acima de tudo, fazer essa retratação porque eu acho importante. Eu sou um democrata, sempre defendi o direito à opinião, sempre defendi o direito à liberdade, mas entendo que ela tem limites, e talvez, pelas palavras fortes que eu utilizei, tenha extrapolado esses limites”, concluiu Gustavo Victorino.

Leia também: Brasil pode alcançar 200 mil mortes por Covid-19 até outubro, aponta especialista

Felipe Neto compartilhou o vídeo do jornalista, mas afirmou que continuará com o processo na justiça. Posteriormente, sua assessoria de imprensa informou “que todos que proferirem conteúdo difamatório, criarem ou compartilharem material que o relacione ao cometimento de crimes serão responsabilizados judicialmente, em âmbito cível e criminal”.

*Com informações do Congresso em Foco e Hugo Gloss

Comentários