Brasil

Perícia aponta que havia veneno em comida que matou dois homens em situação de rua

Uma criança de 11 anos que também comeu o alimento está internada, sem previsão de alta

diario da manha
Foto: Reprodução

Laudos toxicológicos deram positivo para a presença de veneno contra rato nas marmitas entregues no último dia 21 às pessoas em situação de rua que estavam em um posto de combustíveis desativado em Itapevi, São Paulo. Dois moradores de rua morreram. Uma criança de 11 anos que também comeu o alimento está internada, sem previsão de alta. A refeição foi doada por integrantes de uma igreja evangélica. As informações são do jornal Agora e foram publicadas pela revista IstoÉ.

Vagner Aparecido Gouveia de Oliveira, 37, e José Luiz de Araújo Conceição, 61, morreram com sinais de intoxicação. O filho de José Luiz segue internado. Uma adolescente de 17 anos passou mal, foi internada e recebeu alta no último domingo (26). A cadela Dalila, que pertencia à uma das vítimas, morreu após ingerir a comida, conforme o jornal.

Segundo a reportagem, a pastora Agda Lopes Casimiro, 51, foi até a polícia no dia 22. Ela afirmou que preparou a comida que foi recebida pelos moradores de rua e negou que houvesse problemas. Conforme a pastora, a própria família comeu o alimento e não passou mal.

De acordo com a matéria, a polícia busca esclarecer se a comida foi envenenada no posto de gasolina ou no momento da preparação. Além disso, quer apurar quem teria feito isso e por qual motivo. Depois do resultado da perícia, o caso é investigado como homicídio doloso (em que há intenção de matar).

Comentários