Brasil

“Não me arrependo”, diz Sara Winter em vídeo ao sair da prisão de tornozeleira eletrônica

diario da manha

Em vídeo publicado nas redes sociais nesta quinta-feira (25), Sara Winter, que deixou o presídio feminino do Distrito Federal horas antes, diz que não se arrepende das ameaças contra ministros e ataques ao Supremo Tribunal Federal (STF) que a levaram à prisão.

“Hoje, uma pessoa, enquanto eu colocava a tornozeleira eletrônica, me perguntou: Sara você se arrepende? Eu não me arrependo e pelo meu país eu faria o que fosse necessário, dentro da legalidade claro, dentro do que eu entendo por moral e dentro das minhas balizas cristãs”, afirmou, em tom mais ameno que nas imagens publicadas antes da prisão.

“Foram dias muito, muito horríveis. A pior coisa foi ser apoiadora do presidente Bolsonaro e estar num presídio. Você escuta coisas horríveis contra você e sua família”.

Na quarta-feira (24), o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes aceitou o pedido da Polícia Federal e da Procuradoria-Geral da República (PGR) para substituir a prisão de Sara Winter por medidas cautelares, como uso de tornozeleira eletrônica, proibição de manter contato com outros investigados e manter um quilômetro de distância do STF e do Congresso Nacional.

Diogo Giromini, irmão de Sara, chegou a comemorar e comparar a apoiadora de Bolsonaro com Suzane von Richtofen: “Como sou brasileiro e eu quero um país melhor, a notícia foi extremamente positiva. É uma pessoa totalmente descontrolada, só quer aparecer na mídia. Não serve para nada. É uma sociopata. Ela tem a cabeça da Suzane von Richtofen”, disse.

Comentários