Brasil

IBGE: Taxa de desemprego atinge 50% de pessoas em idade de trabalhar

Pandemia impacta diretamente em 7,8 milhões de oportunidades de empregos no Brasil

diario da manha

A crise de saúde sanitária da Covid-19 impactou 7,8 milhões de empregos no Brasil dados referentes até o mês de maio, divulgou nesta terça-feira (30), o IBGE. Observando a comparação a população empregada passou por um declive de 8,3% em relação ao trimestre encerrado em fevereiro, caminhando em direção de 85,9 milhões de trabalhadores.

O levantamento revela que pela primeira vez na história a Pnad enfrenta dados preocupantes que expõe a realidade da situação de pessoas em idade para trabalhar, mais da metade estão desempregadas. Esses números nunca fizeram parte da pesquisa, que teve início em 2012.

Entre meio as funções de trabalhos abaladas, 5,8 milhões são de empregos informais, que abrangem os profissionais sem carteira assinada e autônomos. A proporção da taxa de informalidade despencou de 40,6% para 37,6%, a menor da série que começou a ser calculada em 2016.

O mês de maio corresponde ao segundo período completo de medidas acatadas de isolamento social, decretos implementados por autoridades do governo em todo território nacional com intuito de controlar o avanço da doença do novo vírus Covid-19, o que vem destruindo as atividades econômicas do país. Estudiosos da área anunciam o cenário de depressão econômica.

Inserido na realidade, o desemprego atingiu 12,9% em relação ao trimestre anterior, encerrado em fevereiro, quando registrou 11,6%. O levantamento aponta 368 mil pessoas a mais na fila de uma oportunidade de emprego, que alcançou 12,7 milhões. Em comparação ao mesmo período do ano passado, o índice de desocupação subiu 0,6 ponto percentual.

A analista da pesquisa, Adriana Beringuy, afirmou que o resultado na queda da população empregada foi acelerada. “Isso aciona o botão de alarme”, explicou. O coordenador Cimar Azeredo considerou que a ocasião semelhante à pandemia do coronavírus não retrata a realidade atual da taxa de desocupação no mercado de trabalho no Brasil.

Em relação aos efeitos causados a economia refletidos diretamente a questão do aumento do desemprego, o Brasil sofrendo com a expansão do Covid-19. Na última segunda-feira, o país registrou 727 mortes, e 25.234 novos casos de diagnósticos positivos da doença. Diante disso, o país alcança a marca de 58.385 óbitos provocados pelo novo coronavírus e 1.370.488 registros de contaminações.

*Com informações da Folha

Comentários