Brasil

Alvará dos comerciantes que insistirem abrir lojas pode ser cancelado, em Manaus

O prefeito anunciou em um vídeo publicado nas redes sociais que as pessoas precisam entender que o momento é de salvar vidas

diario da manha

O alvará dos comerciantes que insistirem em abrir estabelecimentos durante a crise causada pelo coronavírus será cassado pelo prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto (PSDB). Ele anunciou a medida no último domingo (5) em um vídeo publicado nas redes sociais.

No vídeo, Virgílio explicou a importância do isolamento social e informou que os comerciantes podem fazer mal à própria saúde, dos familiares e dos clientes. Para ele, as pessoas precisam entender que o momento é de salvar vidas. “A hora de ganhar dinheiro é na volta, ela é essencial e ela volta depois”, afirmou.

Além disso, a prefeitura da capital anunciou também a suspensão do passe estudantil e da gratuidade para idosos. A medida pretende levar economia para os cofres públicos e fazer com que essas pessoas permaneçam em casa.

A possibilidade do cancelamento do alvará dos comerciantes que insistirem em abrir lojas foi uma medida implantada devido o colapso na saúde que o estado do Amazonas pode enfrentar nos próximos dias. A decisão será publicada nesta segunda (6) no Diário Oficial.

O estado do Amazonas é um dos que podem entrar em colapso nos próximos dias devido o aumento de casos do coronavírus e a falta de estrutura no sistema de saúde, segundo o Ministério da Saúde.

Dados divulgados no último domingo (5) apontam que o aumento de casos chegou a 106, totalizando 417. Além de mais três mortes, alcançando 14 óbitos no estado.

Na última sexta-feira (3) o Ministério da Saúde enviou 15 respiradores de Unidade de Terapia Intensiva para Manaus. A atitude é para reforçar o atendimento nos hospitais locais.

*Com informações da CNN

Comentários