Brasil

Bolsonaro publica decreto para retorno de casas lotéricas

Bolsonaro declarou que a rotina no país deveria voltar à realidade, que o vírus está sendo enfrentado e "brevemente passará"

diario da manha

O presidente Jair Bolsonaro publicou um decreto na noite da última quarta-feira (25) determinando o funcionamento de casas lotéricas em todo o Brasil.

Segundo o presidente, cerca de 2,4 mil dos quase 13 mil estabelecimentos estariam fechados após decretos municipais ou estaduais para cumprir a quarentena, em consequência da pandemia do coronavírus.

Pelo Twitter, o presidente escreveu que “No Brasil existem 12.956 casas lotéricas e 2.463 se encontram fechadas por decretos estaduais ou municipais. Para que possam funcionar em sua plenitude, atualizei, nessa data, o Decreto 10.282”.

Bolsonaro declarou ainda que a rotina no país deveria voltar à realidade e que a imprensa brasileira estaria espalhando pânico sobre o coronavírus. Ele continuou a classificar como “gripezinha”.

Pronunciamento de Bolsonaro

Em pronunciamento em rádio e televisão, Bolsonaro criticou governadores pela determinação da quarentena e questionou o motivo pelo qual as escolas foram fechadas. Durante a fala do presidente, diversos panelaços contra ele foram realizados pelas cidades.

“O vírus chegou, está sendo enfrentado por nós e brevemente passará. Nossa vida tem que continuar, empregos devem ser mantidos, o sustento das famílias deve ser preservado, devemos, sim, voltar a normalidade”, afirmou.

Número de mortes crescem

Foi anunciado pelo Ministério da Saúde em coletiva de imprensa, na última quarta, que o número de mortes causados pelo coronavírus subiu para 57. No país, são 2.433 casos confirmados.

A respeito da mortalidade do coronavírus, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta explicou que a taxa de mortalidade no país é de 2,4. “Os números estão crescendo num ritmo aproximadamente igual ao dos últimos dias”, alegou.

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) desta semana, o vírus já infectou mais de 350 mil pessoas no mundo e matou mais de 16 mil em 170 países.

*Com informações do UOL

Comentários