Brasil

Após 20 anos de erradicação do sarampo morte de bebê é confirmada no RJ

O estado de Goiás, assim como o Rio, também é considerado uma área de transmissão ativa da doença.

diario da manha
Foto: Reprodução

Um bebê de oito meses foi o primeiro morto por sarampo registrado no estado do Rio de Janeiro, após 20 anos. Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, Davi Gabriel morreu no dia 6 de janeiro, contudo, o laudo de sua morte saiu apenas agora.

A criança que estava no abrigo de Santa Bárbara, na Baixada Fluminense, teria pego a doença antes dos seis meses de vida, idade mínima para a primeira dose da vacina.

David foi internado no Hospital Geral de Nova Iguaçu no dia 22 de dezembro com quadro de pneumonia. Foram coletadas amostras para os exames, que confirmaram a doença em duas análises diferentes.

Nessa sexta feira (14), o secretário de Saúde do estado do Rio de Janeiro, Edmar Santos, destacou que a campanha de vacinação na cidade está muito abaixo do esperado. E a previsão é um aumento de casos da doença, que pode chegar a 10 mil este ano, apenas na cidade do Rio.

A meta, segundo Edmar Santos é atingir três milhões de pessoas, mas, por enquanto, apenas 200mil foram vacinadas.

Vacinação contra o Sarampo em Goiânia

O estado de Goiás é considerado uma área de transmissão ativa do sarampo. Só neste ano já foram registrados seis suspeitas da doença em cinco municípios. Uma delas foi confirmada.

A Secretária Estadual de Goiás (SES-GO) informou que em 2019 foram registrados 85 casos suspeitos de sarampo, dos quais 59 são residentes na capital. Destes, 6 casos foram confirmados, 50 foram descartados e 5 permanecem em investigação.

A campanha de vacinação em Goiânia começou este mês e tem por objetivo resgatar quem não se vacinou em 2019 ou complementar esquemas de vacinação da tríplice viral. A segunda etapa da campanha começa em agosto e terá como alvo pessoas com a idade de 30 a 59 anos.

Embora a campanha de vacinação ser destinada ao grupo de 5 a 19 anos, a população de 6 meses a 49 anos de idade pode se vacinar de forma seletiva conforme a disponibilidade de vacinas.

Veja os postos de vacinação disponíveis

*Com informações do G1

Comentários