Brasil

Polícia Civil desarticula organização interestadual especializada em roubo e furto de veículos

A polícia cumpriu 120 mandados prisão preventiva, temporária e de busca e apreensão

diario da manha
Foto: Reprodução

A Polícia Civil desmontou, na manhã desta segunda-feira(30/9), uma organização interestadual especializada em roubos e furtos de veículos nos estados de Goiás, São Paulo e Distrito Federal. A operação Rota da Seda foi realizada pela Coordenação de Repressão aos Crimes Patrimoniais (Corpatri), da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) e cumpriu 120 mandados de prisão preventiva, temporária, e de busca busca e apreensão. 

Após a subtração dos veículos, a quadrilha os enviava para desmanche e posteriormente despachavam as peças que eram comercializadas em lojas especializadas. As lojas interditadas por suposto envolvimento na receptação e revenda de produtos roubados foram localizadas nas cidades de Taguatinga, Brasília, Goiânia, Águas Linda, Campinas, Valinhos, Hortolândia e Indaiatuba.

De acordo com a corporação os veículos eram roubados em Campinas (SP) e cidades próximas. Depois de desmontados pelo menos seis caminhões diferentes eram usados no transporte das peças. Cada caminhão levava, em média, dez veículos cortados. “Eles chegavam a transcorrer o percurso DF-GO-SP até três vezes na semana, indicando, portanto, um volume alto de carros roubados que eram inseridos no mercado de autopeças”.

Para passar pela fiscalização rodoviária, o grupo emitia notas frias. No DF, as peças eram distribuídas e as lojas também emitiam notas falsas. A prática não acontecia só no DF, mas também em outros estados.

Segundo a PC-DF, ao menos dois mil carros cortados foram enviados ao DF na última década.  Participam dos trabalhos 450 policiais com 100 viaturas e três aeronaves.

A ação também teve desdobramentos em Goiânia, através da Delegacia Estadual de Repressão a Furtos e Roubos de Veículos Automotores (DERFRVA).

Em Goiânia a equipe policial cumpriu 2 mandados de prisão preventiva, 1 de prisão temporária e 11 de busca e apreensão.

Com informações do Correio Braziliense

Comentários