Aparecida de Goiânia

Vigilante penitenciário é morto junto a esposa ao sair de complexo prisional

Vigilante havia contido um motim e tentado ser subornado por detentos dias antes de sua morte

diario da manha

Em Apareci de Goiânia, um vigilante penitenciário temporário, foi morto ao sair do Complexo Prisional da região metropolitana. Elias de Souza Silva, 38 anos, já havia sido alvo de tentativa de suborno. Contudo, o G1 teve acesso á um boletim de ocorrências onde afirma que Elias conteve um motim organizado pelos detentos.

O vigilante foi morto na última quinta feira (18). A esposa do servidor, Ana Paula Dutra Sousa, 32 anos, estava no momento do crime, foi alvejada e morreu no local. De acordo com as investigações, os dois haviam acabado de sair do complexo e foram acertados em uma rotatória. Ana Paula que dirigia o carro tentou fugir dos disparos, mas, acabou batendo o carro.

Durante uma operação de revista em um dos blocos da Ala B da unidade prisional, Elias e dois policiais penais apreenderam dois aparelhos celulares. Logo depois, três detentos chamaram os servidores e ofereceram a eles R$ 5 mil para que devolvessem os aparelhos apreendidos. Porém, os policiais recusaram.

De acordo com o registro, os três detentos insistiram e ofereceramm uma nova quantia para que os celulares fossem devolvidos, dessa vez no valor de R$ 7 mil. No entanto, os policiais recusaram novamente. Segundo a ocorrência, os presos se revoltaram, se “amotinaram” e começaram a “bater nas portas com o intuito de derrubá-las”.

Após outros policiais penais entrarem na ala para controlar o motim, os detentos trancaram a porta de acesso às celas e começaram a afirmar que a situação iria “evoluir” e que iam “jogar cabeças”, caso os celulares não fossem devolvidos.


Comentários