Aparecida de Goiânia

Servidores reclamam falta de pagamento em Hospital Municipal de Aparecida

Hospital é dirigido por OS citada em investigação da Polícia Federal; entidade nega atrasos e irregularidades

diario da manha

Em meio às mortes de três pacientes originários de Manaus, o Hospital Municipal de Aparecida de Goiânia (HMAP) enfrenta dificuldades por conta da falta de pagamento de servidores.
Conforme reportagem do jornal “Hoje” publicada na edição de 25 de janeiro, os servidores denunciam que não recebem salários há três meses. “Algumas pessoas não receberam nada ainda de novembro. Estão recebendo parte de outubro”, disse uma fonte ao jornal.
De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores do Sistema de Saúde de Goiás (Sindisaúde-GO), o titular da Secretaria de Saúde do município teve reunião com o responsável pela área. Ele garantiu que a OS que cuida da unidade, Instituto Brasileiro de Gestão Hospitalar (IBGH), pretende regularizar eventuais pagamentos atrasados.
Segundo a reportagem do “Hoje”, as questões estruturais também prejudicam o atendimento: uma UTI que recebia paciente originário de Manaus, por exemplo, foi alagada após forte chuva.
Os servidores estão preocupados com os gastos excedentes que a OS faz para arcar com o atendimento dos pacientes de Manaus, já que mesmo “com atrasos” realizaram novas contratações.

Organização Social
A Prefeitura de Aparecida de Goiânia optou em seguir com os trabalhos do Instituto Brasileiro de Gestão Hospitalar (IBGH). A entidade é investigada após requerimento do Sindisaúde formalizado pelo Ministério Público do Trabalho (MPT), que questiona o respeito aos direitos trabalhistas dos servidores.
A OS é ainda investigada pela Polícia Federal em outros episódios. Em dezembro a corporação realizou a prisão de sete suspeitos de fraude de R$ 2 milhões na compra de materiais para combate à covid-19 em Goiás e incluiu o IBGH dentre os investigados.
Após o episódio, a OS deixou de gerir três hospitais que estão sob tutela do Governo de Goiás: Hospital Estadual de Jaraguá, de Santa Helena e Pirenópolis.
A organização se pronunciou sobre as investigações da Polícia Federal e reclamações de servidores. A Secretaria Municipal de Saúde de Aparecida afirma que os repasses estão em dia. Por sua vez, o IBGH nega qualquer acusação dos servidores referente a lesões salariais, bem como envolvimento nas supostas ilegalidades apuradas pela polícia.

Comentários