Aparecida de Goiânia

Candidatos cobram ausência de Gustavo Mendanha em debate

Gustavo Mendanha não participou de encontro de candidatos que desejam administrar Aparecida de Goiânia e tornou-se alvo de críticas

diario da manha

Bruno Felipe (Psol) e Márcia Caldas (Avante) se encontraram na noite de terça-feira, 27, em debate organizado pela Televisão Brasil Central (TBC). Os dois candidatos que disputam a gestão de Aparecida de Goiânia apontaram graves problemas no município nas áreas de saúde, educação e transparência e apresentaram propostas e planos de governo.

É possível rever o encontro aqui.

O debate é a única forma satisfatória do eleitor analisar realmente quem é quem na disputa, já que na propaganda eleitoral não é possível comparar o desempenho e raciocínio lógico de candidatos, mas contemplar criações publicitárias.

O atual prefeito do município, Gustavo Mendanha (MDB), não participou do encontro. Duas semanas antes do evento, segundo jornalistas da emissora, em um programa da TBC, ele disse que não saberia ao certo qual sua agenda na semana prevista para o debate, apesar de sua assessoria ter confirmado a participação.

No dia do debate, a assessoria do candidato à reeleição do MDB justificou a ausência devido a transferência de Maguito Vilela (MDB), candidato em Goiânia, para hospital em São Paulo, onde tratará de covid-19.

“Acho lamentável termos a ausência do terceiro candidato aqui para trocarmos ideias e debater o­ futuro de Aparecida de Goiânia”, disse Márcia Caldas. “Cidadão de Aparecida, essa cadeira vazia aqui simboliza o que você pode ter a partir de primeiro de janeiro. A prefeitura fechada na tua cara. A ausência de diálogo, de debate de ideias. Gustavo não gosta de democracia”, criticou Bruno.

Antes do debate, o espectador observou a qualificação e formação dos candidatos em uma apresentação jornalística objetiva. Ainda na fase preliminar, os dois participantes reafirmaram que não têm parentes na política nem sobrevivem dela. Bruno Felipe, 30, é professor do ensino médio.

Márcia Caldas, 47, foi apresentada como odontóloga e profissional liberal, sem jamais ter concorrido a qualquer disputa.

Os dois integram a jovem política de Aparecida de Goiânia, mas apresentaram perfis ideológicos opostos – Bruno mais próximo da esquerda e Caldas do centro. Os candidatos divergem de Mendanha, apoiado por um grupo que governa Aparecida desde a década de 1990.

A todo momento os debatedores chamaram a atenção do prefeito, que não participou do encontro. “Gustavo, esse aí é o padrão de saúde que você defende? Se for, não serve para mim não. Moro em Aparecida há muito tempo e o MDB deixou muito a desejar”, questionou Bruno.

Márcia Caldas tratou de temas de segurança e atenção da família, levando um olhar feminino. Disse que deseja ver “Aparecida como filha”. 

Na área da economia, ela questionou a quantidade de empresários que estão na dívida ativa municipal e defendeu ações de parcelamento e de busca do inadimplente para a atividade econômica. A candidata disse que é necessário rever tributos e reduzi-los. “Vamos estudar políticas possíveis para beneficiar esse povo sofrido”.  

Comentários