Anápolis

As mulheres do Legislativo municipal

Neste 8 de março, especial mostra as cinco vereadoras eleitas em Anápolis em 2020 e traz reflexões sobre a importância da participação das mulheres na política

diario da manha
Foto: Reprodução

Nesta segunda-feira (8), em comemoração ao dia Internacional da Mulher, a Câmara Legislativa de Anápolis publicou uma série de pautas especiais sobre o tema. No portal https://www.anapolis.go.leg.br/ é possível acessar o material criado com cada uma das cinco representantes femininas no legislativo municipal.

Atualmente, a Câmara tem a maior bancada feminina da sua história. Nas últimas eleições municipais a vereadora Andreia Rezende (SD), foi a mulher mais bem votada da bancada. Com um total de 2.841 votos ela também foi a segunda candidata mais votada entre os 23 vereadores eleitos e reeleitos no ano passado.

Anteriormente, durante um discurso na tribuna do plenário, no último dia 24 de fevereiro, Andreia Rezende relembrou que há 89 anos as mulheres ganharam o direito do voto para escolher os seus representantes políticos. Na ocasião a parlamentar afirmou que queria trabalhar para que a defesa dos direitos das mulheres não ficasse apenas no discurso.

“Quando a mulher entra na política, ela muda a política, mas quando muitas mulheres entram na política elas mudam a sociedade”, disse a vereadora.

Em entrevista ao especial de comemoração pelo dia da mulher, a vereadora ressaltou a importância da participação da mulher na política. “Acredito que a presença de mulheres na política proporcionará um maior diálogo e um pensar mais abrangente em torno de questões que estejam relacionadas às pautas femininas”, defendeu.

Representatividade e representação

Em seguida, Thaís Souza (PP), conquistou o segundo lugar no ranking de votação das mulheres, sendo reeleita com 2.493 votos. Para Thais, um maior número de mulheres no poder representa mais perspectivas, mudanças, renovação e transformação. “A mulher pode ocupar espaços aonde ela quiser estar”, afirma.

A vereadora é engajada com a causa animal, mas garante que seu mandato atual é voltado para busca de políticas públicas de defesa e valorização das mulheres. Thais pontua que além de comemorar as conquistas é preciso refletir sobre as questões que ainda precisam ser vencidas, como a violência e o feminicídio.

O terceiro lugar feminino em número de votos nas últimas eleições é da vereadora Seliane da SOS (MDB), que conquistou 1.714 votos. Outra apoiadora da causa animal, a parlamentar garante que também apoia projetos que buscam fortalecer a ação das mulheres na sociedade.

De acordo com ela, a mulher deve ampliar seus objetivos e atuar para fazer a diferença na sociedade. “Não queremos apenas votar, queremos ser eleitas e fazer a diferença pela nossa capacidade”, aponta. Para ela, quanto mais representatividade, maiores serão as conquistas.

“Mulheres unidas pelo mesmo propósito”

Na sequência, Trícia Barreto (MDB) foi a quarta vereadora mais votada, com 1561 votos. A médica especialista em Ginecologia e Obstetrícia defende que a participação da mulher na política é muito importante devido a representatividade. “Acredito muito no lugar de fala, em que mulheres falam sobre o que deve ser feito para nós mesmas” diz.

“A mulher tem um papel essencial na sociedade, tem autonomia e tem direitos garantidos, o que ainda falta é a igualdade”, argumenta Trícia Barreto. Segundo ela, ainda há um longo caminho a percorrer na busca pelos direitos da mulher.

Já a ocupante da quinta cadeira na bancada feminina, Cleide Hilário (Republicanos) foi eleita com 1.456 votos. Cleide é responsável pela criação da Procuradoria da Mulher da Câmara Municipal, para que vítimas de violência possam contar com o amparo do Poder Legislativo.

A advogada afirma que além da representatividade, ter mulheres na política demonstra força na tomada de decisões importantes para o país e para a vida de outras mulheres.

Com dois meses de atuação no cenário parlamentar anapolino, a vereadora salienta: “Ainda temos barreiras imensas e muitas lutas para enfrentar. Mas a cada dia estamos mais fortes”.

Comentários