Anápolis

Amilton Filho cria projeto de lei para viabilizar e estimular a leitura pelos estudantes goianos durante a pandemia

Iniciativa dá protagonismo aos professores e estudantes e é uma alternativa de acesso à Educação enquanto estiver valendo a quarentena

diario da manha

O Projeto de Estímulo à Leitura (PEL), criado pelo deputado estadual Amilton Filho (SDD), foi apresentado em formato de lei nesta terça-feira (23) e começou a tramitar na Assembleia Legislativa de Goiás (Alego). O objetivo é viabilizar, por meio do incentivo à leitura, uma alternativa de acesso à Educação para os estudantes da rede pública enquanto vigorar o decreto estadual de calamidade por conta da pandemia da Covid-19.

Para tanto, a proposta de Amilton autoriza as Diretorias de Ensino do Estado a formular, de acordo com cada realidade local, a melhor maneira de implementar o PEL — desde que sejam observadas as restrições de distanciamento social. “A concepção de Educação em que professores e estudantes assumem o protagonismo de forma interativa e criativa é o alicerce da matéria”, informa o deputado.

Amilton explica que, além de convênios não onerosos com editoras e livrarias para arrecadação, empréstimo e/ou doação, o PEL também admite para sua execução nas escolas a realização de lives com contação de histórias nas redes sociais e a promoção de olimpíadas de conhecimento. Já o Poder Público fica autorizado a conceder incentivos fiscais aos parceiros do projeto e a difundir as campanhas que vier a ser realizadas nas emissoras públicas de TV e rádio.

“A leitura de maneira diversificada e lúdica estimula a troca de experiências, a pesquisa, o debate e a busca por soluções dos problemas enfrentados na escola, no bairro, na cidade, no país e no mundo. Ao mesmo tempo aproxima pais, estudantes e professores, estreita relações e amplia os horizontes”, justifica o deputado.

Amilton explica ainda que para se tornar lei o PEL precisa passar pelas comissões temáticas, votações em plenário, ser aprovado, e depois ser analisado pelo governador Ronaldo Caiado (DEM). “Com o fim do decreto de calamidade, o texto define que projeto deverá ser integrado à Política Educacional do Estado de Goiás”, esclarece.

Comentários